Quarta-feira, 19 de Setembro de 2007

Maria dos olhos doces...

Os animais tem a compreensão dos sentimentos muito mais apurado do que nós… e embora andem a gritar que somos os seres mais avançados da terra, para mim somos um bando de ignorantes deslumbrados com a sua própria existência, totalmente cegos ao que realmente é importante e que pode contar entre sentir ou simplesmente existir…

 

E quando sinto que o fim do planeta está próximo e que nos vamos finalmente ser extintos… tenho pena daqueles que não tiveram opção, os animais, as crianças e pouco mais… tenho pena das plantas, das arvores, da agua… de tudo o que já estava e que nos deu tudo, e que nós simplesmente destruímos, vendemos, mata-mos…

 

Abro a janela e vejo que mesmo depois de tanta maldade de tanta crueldade, a natureza ainda é grandiosa e bondosa para com os homens! Os animais continuam a esperar de nós coisas boas, e correm para as nossas mães, para serem abandonados, mortos, mutilados, violados, esfolados vivos, comidos, vestidos… etc.…

 

Estranho não é? Comigo aqui em fazem aqui me pagam… ou aqui me fazem e nunca mais dou oportunidade para repetirem a dose… Com eles perdoam tudo, não esquecem, como algumas mentes brilhantes alegam!!!! Eles não sabem é o que é o rancor, nem a vingança…

 

A Maria foi a uma das nossas campanhas, estava triste, prostrada e tinha decidido que não ia viver mais… eu li nos olhos dela…

Trouxe-a cá para casa e apresentei-a ao meu pedaço de mundo, e ela no minuto seguinte, correu, comeu, bebeu, e brincou! E os meus animais deram-lhe mil beijinhos, a cama, a comida, as boas vindas! Não é a mesma cadelinha assustada e triste, é uma cadela feliz…

 

A semana passada algum ser evoluído, lembrou-se de meter 5 cadelinhas de 2 semanas num saco plástico e meteu-as no caixote do lixo! Alguém viu e pediu-nos ajuda.

Vieram cá para casa,  é complicado tratar de 5 pequeninas e trabalhar ao mesmo tempo!  Ainda por cima, não tenho horas de chegar só de sair... De 2 em duas horas há o leitinho, serem estimuladas, e claro precisam de muitos carinhos! Mas dentro da caixinha, lá andaram a traz de mim, e embora ande numa altura péssima, sem horários de acabar o trabalho, tudo se faz…

 

No 3 dia estava muito preocupada com elas porque estavam sempre molhadas e pedi a brincar a Maria (cadelinha do canil), para me dar uma ajuda… Para meu espanto, ela saltou para dentro da caixinha e começou a lamber as meninas e dar as maminhas, sem leite… Desde esse dia, adoptou as pequeninas, é uma mãe exemplar e até quando lhes dou o leitinho no biberão ela fica preocupada e não sai de perto de mim… Com o maior carinho e dedicação adoptou as pequeninas…

 

É aqui que toda a minha tese de que não valemos nada, e que temos tudo a aprender com os animais, ganha mais e mais peso em mim…

Sempre disse que queria adoptar uma criança, e desde de que vi com os meus olhos os orfanatos e centros onde permanecem, que deixou de ser um desejo para ser um objectivo primordial na minha vida.

Cada vez que digo isto, fica tudo escandalizado a olhar para mim, como se eu fosse alguma maluca, e vem cm as teses de que é muito complicado, porque os miúdos vem cheios de problemas e traumas, e dizem-me com cada disparate que eu fico absolutamente parva como é pessoas que tem filhos podem ser tão programáticas e vazias de solidariedade com outras crianças, mas enfim… é no mundo que eu vivo… partilho as minhas experiências, falo do que tenho visto e sentido nestes últimos anos, e conto como eles são carentes de amor, como são receptivos de palavras, e como desejam a mais básica das coisas, ter uma mãe e um pai… ou um dos dois, não são esquisitos!

Falam sempre do facto de não ser do meu sangue, como se isso fosse alguma coisa de importante, e do facto das outras crianças, ou seja os filhos que andam a criar, irem gozar com as crianças adoptadas, por serem de cor diferente dos pais, ou algo do género…

 

Francamente não consigo alcançar este raciocínio, e aguardo com imensa ternura o dia em que poderei ser mãe de uma criança que não tem o que todas deviam ter e muitas até nem ligam nenhuma!

Eu e o Pedro costumamos imaginar se é menina ou menino, e como será ser pais de tanto cão e de putos ao mesmo tempo… Temos a tendência de tentar organizar as coisas mentalmente… e não nos importa francamente nada das coisas que nos dizem… vamos amar todos da mesma forma, assim como a Maria que é bege e não tem leite, e adoptou 5 cadelinhas pretinhas que chupam nas suas maminhas só para adormecer…

 

Como o mundo é cruel, a data que escrevo estas linhas, já morreram duas nas minhas mãos, e a Maria chorou ao meu lado a dor de ver um bebe sofrer e perder a vida entre os dedos que as apertam… tenho vontade de gritar tão altoooooooo, tenho vontade de berrar durante dias, tenho vontade de me deitar ao lado delas e esquecer que existe mundo lá fora… tenho vontade de levar os corpinhos delas e as lembranças de deixaram em mim, para a praça publica, e gritar bem alto, aqui tem o resultado de não esterilizar, de abandonar de ser estúpido e atraso, de ser ganancioso e ignorante…

 

Ao menos elas tiveram uma mãe, é o que digo a mim mesma e a Maria para a consolar… tiveram duas Maria… mas foi pouco muito pouco… tão pouco…

Quase nada no meio do tudo…

 

Não acredito no céu… mas se existir, o meu é um campo cheio de flores, com um riacho, onde não existe frio, nem fome, nem sede… Onde tudo é limpo, onde todos partilham o que tem… onde não existe barulho… e onde durmo ao sol, com todos eles em meu redor… assim até podia existir eternidade…

Para o inferno não devo ir, porque já cá estou a 28 anos…

 

 

Adeus minhas pequeninas…. Até lá….

 

Lisboa, 16 de Setembro de 2007…

Sandra Duarte Cardoso

www.sosanimal.com

publicado por Sandra Cardoso às 00:06

link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 23 de Outubro de 2007 às 20:09
sei que sou uma grande merda e que tu, és tudo o que eu sempre soube que eras, e não tive a coragem e a humildade de saber reconhecer e valorizar! Como lamento já não te ter nos meus dias, e não ver esse cabelos de cobre a brilhar ao sol a contrastasr com o verde da serra. nem essas covinhas que nascem na tua carinha quando rasgas um sorriso... "AINDA ÈS SANGUE QUE CORRE EM MIM" nas veias quase secas da vida.
EU
De Sandra Cardoso a 25 de Outubro de 2007 às 21:05
Começo a estar farta dos EU, TU, AQUELES, e uma datas de nomes da tanga para esconder identidades! e que raio de comentario é este??? por amor de deus! Mas quem é que resnasceu dos mortos?
De Pedro a 9 de Novembro de 2007 às 12:04
AH AH !! És o maior oh talhante !!!

Comentar post

.o que se pode saber de mim. O resto é um mistério...

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.as mais recentes alucinações...

. Em frente ao mar que nos ...

. Iris

. vamos fazer alguma coisa?

. Eu e a minha malta... nas...

. Maria dos olhos doces...

. ...

. 2 anos...

. ...

. Intercambio de animais!

. Alvaro Charneca!

.alucinações antigas...

. Setembro 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds