Sexta-feira, 24 de Novembro de 2006

Somewhere over the rainbow…

 

Somewhere over the rainbow…

 

Ás vezes preciso de uma pausa, preciso de um bocadinho, para ver coisas que temos tendência em ignorar, esquecer ou mesmo m ver!

O Sol, o céu, o mar… sentir o vento nos cabelos, a areia nos pés… o cheiro da cidade, o cheiro do campo, o cheiro do mar…

O dia é composto por tarefas, e por mais rápido que se ande temos sempre a sensação que deixamos alguma coisa a meio…

Depois de muito pensar, de ler alguns livros e de falar com algumas pessoas, dei conta que os humanos em geral, deixam tudo para amanha, é genético… só quando são pressionados por algo ou alguém, dão corda aos sapatos e fazem tudo!

Gabriel Garcia Marques, quando soube que tinha um cancro, passou a escrever de forma diferente, falou mais na vida que na morte… estranho não? Agora que estava mais perto da morte, falava na vida… pois, é basicamente como somos…

Não sou excepção, ando todos os dias a pensar fazer uma coisa, e vou adiando, por isto, por aquilo… e não o faço! Tenho desculpas boas para mim própria, e os dias vão passando...

Tal como a minha visita ao meu sitio encantado! Se vos contar que já passei lá umas 5 vezes e acabo por seguir em frente, porque esta a chover, porque não tenho lugar para a carrinha, porque, porque… a verdade é que penso em lá ir todos os dias, porque sei que lá, é o único sitio que encontro o que ando à procura…

A ultima vez que lá estive, deve ter sido a uns 2 anos… incrível, o tempo voa, e o que mais fazemos é apenas queimar tempo… e lá encontrei exactamente o que procurava!

Vim triste, porque até o paraíso esta a ser destruído… mas vim cheia de esperança, cheia de força…

Uma das vezes que lá foi, estava tão vazia, que me deitei numa das pontas, sentir a pedra fria, ouvi o riso das crianças no recreio, senti o sol na pele, o perfume de Lisboa, a humanidade do Tejo… senti tudo! Ali era o meu pequeno mundo! Desde miúda que ficava ali a olhar para as casas e a imaginar como faria, como as recuperava, como as pintava, o que fazia aos quintais… horas nisto! Em vez de brincar com bonecas, brincava com a mente, e lá ficava eu horas, a recuperar Lisboa, a sua história, a sua cultura e a sua riqueza arquitectónica…

Em miúda sentia que o tempo não passava, e a porcaria dos 16, 18 anos nunca mais chegavam… ouvia os velhos a dizer que depois dos 18 isto era um tirinho!

Não é um tirinho, mas realmente passa rápido à brava….

Já pararam para pensar, que andamos todos a correr para o fim, para a morte!

Andamos todos à espera que amanha seja melhor, que o fim do mês chegue, que o fim do ano venha, que as horas no escritório passem… corremos com uma força furiosa para o fim, e conscientes ou não, estamos cheios depressa de lá chegar!

No canil o tempo é outro contra-senso… é bom que o tempo passe e que mais um menino seja adoptado, mas por outro lado o tempo passa, mais meninos chegam! Doentes, tristes, com dores, com tristeza, com filhos, com sonhos, com esperanças… e depois o tempo passa, ninguém os vai buscar, o fim chega… através de uma agulha, que até nem dói muito… mas dói, não ter direito a sentir o quentinho de um cobertor, o sabor de uma refeição, o calor de uma festinha, a ternura de um abraço…

Nascer para sofrer e morrer…

O Igor, tinha esperança, fez frente aos vírus, comia a sua ração para se manter vivo, aproveitava cada raio de sol, cada passeio, cada abraço, como se fosso último, ia para as campanhas cheio de esperança, e quando chegava a hora de voltar, olhava para mim com a certeza que voltava!

Da última vez, prometi que já faltava pouco, prometi que existe mais qualquer coisa, mesmo que seja por detrás do arco-íris!

Fiz uma promessa que não cumpri, e o tempo do Igor chegou ao fim… e eu não o tirei de lá, não fui ao sítio encantado, não disse o que tenho preso na garganta, não tratei de resolver todos os pendentes… e o tempo passa… para mim! Porque para o Igor, já acabou o tempo da corrida para o fim…

Não acredito em deus, nem em céu… por isso, talvez seja aqui o fim de tudo…

Mas acredito em energia e no amor… mesmo que por vezes parece não chegar…

Adeus Igor!

 

Sandra Duarte Cardoso

Lisboa, 25 de Novembro, 2006

publicado por Sandra Cardoso às 22:39

link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Chihiro a 28 de Novembro de 2006 às 13:29
Olá Sandra Cardoso,
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá Sandra Cardoso, <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Incrivel</A> como a sua escrita por vezes consegue levar “outros” ás memorias da infância, ás recordações de um tempo em que o mundo era muito mais facil de compreender.... “ o riso das crianças, senti o sol na pele, o perfume de Lisboa, a humanidade do Tejo”.. fantastico Sandra, fantastico . <BR><BR>Quanto ao seu paraiso estar a ser destruido , infelizmente ( cada vez mais ) a indiferença humana, vai continuar a destruir não só o seu, mas tambem todos os outros paraisos ... <BR><BR>Não acredita em Deus? Compreendo-a se estiver a falar do Deus que a maior parte dos humanos acredita, esse para mim também não existe, mas existe um Deus Sandra... <BR><BR>Não acredita? Então, observe bem o que você e todos aqueles que a acompanham, têm feito nessa luta diária por aqueles que apenas desejam sentir o “quentinho de um cobertor, o sabor de uma refeição, o calor de uma festinha, a ternura de um abraço”, observe bem tudo o que vocês têm feito e o que continuam a fazer, e vai ver que Deus existe. <BR><BR>Para todos aqueles que vocês têm acompanhado, por todos aqueles que vocês têm lutado, para cada um deles, vocês são um Deus, e garanto-lhe que o que vocês fazem é o que mais se aproxima de um Deus, por isso acredite ele existe... <BR><BR>Está nas vossas atitudes, nas vossas lagrimas , nos vossos sorrisos, na vossa dor, no vosso amor, nos vossos sonhos, nas vossas desilusões, e no olhar de cada Igor que vocês acarinham, abraçam, e fazem acreditar que existe algo mais. <BR><BR>A promessa que fez ao Igor foi mais que cumprida, por muito que lhe custe perceber, e mesmo ele não tendo saido de lá, você deu-lhe bem mais do que imagina, deu-lhe memórias e recordações que o farão acreditar que no mundo dos humanos existe mesmo mais qualquer coisa. <BR><BR>Se não quer acreditar em Deus, não precisa de o fazer, mas não deixe de acreditar em si, e em todas as pessoas que continuam a lutar para dar o “céu” a todos esses que recebem a sua energia e o seu amor... <BR><BR>Mais uma coisa, lembre-se sempre que o homem pode derrubar florestas inteiras mas nunca conseguirá impedir a chegada da Primavera, por isso mesmo que o homem destrua o seu paraiso , ele será eterno na sua mente, e lá nunca ninguem o conseguirá destruir... <BR><BR>Fique bem Sandra, desejo-lhe a si e a todos os que a acompanham, a maior felicidade, e que no futuro sorriam muito mais. <BR><BR>Fique em paz. <BR>
De Chihiro a 28 de Novembro de 2006 às 13:31
Olá Sandra Cardoso,

Incrivel como a sua escrita por vezes consegue levar “outros” ás memorias da infância, ás recordações de um tempo em que o mundo era muito mais facil de compreender.... “ o riso das crianças, senti o sol na pele, o perfume de Lisboa, a humanidade do Tejo”...fantastico Sandra, fantastico.

Quanto ao seu paraiso estar a ser destruido, infelizmente ( cada vez mais ) a indiferença humana, vai continuar a destruir não só o seu, mas tambem todos os outros paraisos...

Não acredita em Deus? Compreendo-a se estiver a falar do Deus que a maior parte dos humanos acredita, esse para mim também não existe, mas existe um Deus Sandra...

Não acredita? Então, observe bem o que você e todos aqueles que a acompanham, têm feito nessa luta diária por aqueles que apenas desejam sentir o “quentinho de um cobertor, o sabor de uma refeição, o calor de uma festinha, a ternura de um abraço”, observe bem tudo o que vocês têm feito e o que continuam a fazer, e vai ver que Deus existe.

Para todos aqueles que vocês têm acompanhado, por todos aqueles que vocês têm lutado, para cada um deles, vocês são um Deus, e garanto-lhe que o que vocês fazem é o que mais se aproxima de um Deus, por isso acredite ele existe...

Está nas vossas atitudes, nas vossas lagrimas, nos vossos sorrisos, na vossa dor, no vosso amor, nos vossos sonhos, nas vossas desilusões, e no olhar de cada Igor que vocês acarinham, abraçam, e fazem acreditar que existe algo mais.

A promessa que fez ao Igor foi mais que cumprida, por muito que lhe custe perceber, e mesmo ele não tendo saido de lá, você deu-lhe bem mais do que imagina, deu-lhe memórias e recordações que o farão acreditar que no mundo dos humanos existe mesmo mais qualquer coisa.

Se não quer acreditar em Deus, não precisa de o fazer, mas não deixe de acreditar em si, e em todas as pessoas que continuam a lutar para dar o “céu” a todos esses que recebem a sua energia e o seu amor...

Mais uma coisa, lembre-se sempre que o homem pode derrubar florestas inteiras mas nunca conseguirá impedir a chegada da Primavera, por isso mesmo que o homem destrua o seu paraiso, ele será eterno na sua mente, e lá nunca ninguem o conseguirá destruir...

Fique bem Sandra, desejo-lhe a si e a todos os que a acompanham, a maior felicidade, e que no futuro sorriam muito mais.

Fique em paz.

Comentar post

.o que se pode saber de mim. O resto é um mistério...

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.as mais recentes alucinações...

. Em frente ao mar que nos ...

. Iris

. vamos fazer alguma coisa?

. Eu e a minha malta... nas...

. Maria dos olhos doces...

. ...

. 2 anos...

. ...

. Intercambio de animais!

. Alvaro Charneca!

.alucinações antigas...

. Setembro 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds