Sexta-feira, 24 de Junho de 2005

A responsabilidade de ser afinal… adulta!

Copy of sandra1.jpg

Não sei se será ainda no prolongamento da entrada nos 26 anos, mas algumas questões pendentes, exaltam para o meu pensamento e exigem uma postura e uma resposta!
Afinal sou ou não adulta?!
Por um lado, tenho o gosto incrível de ser livre… já posso usar vestidos compridos deslumbrantes e saltos altos, sem que a minha mãe diga (…)“onde pensas que vais vestida dessa maneira?” (…) Ao que responderia “Oh mãe tu não percebes, que é moda, é fashion!..., pareço mais velha! Não sejas Cota!” (…) E ela bastante renitente diria, estás aqui a horas decentes, e nada de desculpas que houve um tremor de terra, que eu já não acredito! (...) Não aprendi nunca, e acabei por a habituar a falhar a todas as horas estipuladas como limite de chegar a casa, hábito que transitou para a minha vida adulta… nunca chego a horas e todos se queixam dos meus atrasos consecutivos…
Aqui tenho aquela sensação, já sou grande! Posso chegar a casa às quinhentas e ninguém me diz nada… mas já lá vão tantos anos que posso fazer isso… já não tem aquele gosto, e até perdeu alguma piada!
Outro factor que contribui para a minha emancipação como adulta, é o facto do meu pai, já não esbugalhar os olhos quando uso batons, quando vê os biquinis que uso, ou até quando revê a minha tatuagem ou o “piercing”! Durante muitos anos, ficava com falta de ar, quando ia comigo comprar roupa, principalmente biquinis, gritava na WindsufGuincho… “nem penses que dou 10 contos por esse trapo minúsculo que nem tapa, o que deveria tapar! Olha aqui este fato de banho tão giro…. Nada de biquinis… que mania! “Não és brasileira, és serrana pura!” (…) era complicado trazer o meu eleito, mas no meio de uns não seja “bota elástico”, e gosto tanto de si, lá vinha tudo o que a menina escolhia! Tinha um sabor de vitória! Ele vinha com mais uns cabelos brancos, e eu vinha feliz e a sentir que adolescência era um peso!
Agora ainda refila, mas como não vai às lojas comigo e não paga, sente-se impotente perante a minha emancipação e independência… claro que não perde uma oportunidade, para dizer que estou magra, mesmo que esteja semelhante ao “Willy”!
Mas já não há aquela luta! Continua com as “opinações” sobre tudo o que eu faço, mas com um tom diferente… meio conformado! Só no que respeita a namorados, é que ainda fica com o tal mau feitio do costume, mas até a historia de fechar o portão na cara de tudo o que era rapaz que se aproximava da Charneca, e de adorar passear com a pressão de ar, perto dos meus amigos, que tinham coragem de voltar à Charneca, onde ele tinha a pretensão de achar que eu estava prisioneira do seu amor, no castelo guardado com o seu mau feitio e a pressão de ar! Era giro, os meus amigos diziam sempre, “O teu “velho” é meio passado! Anda sempre a fazer cá uns olhares, um dia destes disse que tinha má pontaria e que já tinha acertado num gajo!!!” (…) era tão giro! Na altura ficava possuída com ele e ameaçava nunca mais passar férias com ele! Agora riu das caras e das conversas da malta em pânico do Sr. Cardoso!
Agora que sou adulta! E já uso biquinis, vestidos fashion e não vou de férias com o Pai, pairam no ar outras questões!
Tenho que ser adulta? Com todos os pressupostos exigidos? 26 anos é a idade de um adulto, estarei eu preparada para o ser?
A cada ano, existe mais uma etapa para saltar, em direcção à meta, vida adulta!
Até aos 18 anos, fervia com a sensação de quando tiver 18 anos isto vai tudo mudar! Quando fiz 18 anos, boa festa aquela, lindo vestido que eu levei! Grande noite!!!
Bem, mas quando os fiz, finalmente, senti que nada mudou, apenas a história de ter cartão de crédito, e de sair do país sem a porcaria da procuração dos pais!
Mas depois veio a pressão de entrar na faculdade, os conflitos de gerações pelo lado negativo, pelo positivo a estranha sensação de poder!
Tinha a decisão da minha vida nas mãos, que quero eu afinal fazer? O meu pai queria Direito, eu Geografia, e a minha mãe gostava que eu fosse cantora!!! Depois de muitas discussões, intromissões e pressões, eis que surge a decisão!
Basei para Macau 2 meses, e andei à deriva na Ásia!!!!
O Sr. Cardoso ia tendo um enfarte, mas após o silêncio e a queda de um avião onde supostamente eu iria, amansou e quando cheguei até disse que a decisão seria minha!
E assim entrei na Universidade com um atraso e uns percalços e fiz aquilo que queria, Comunicação… onde ficou a Geografia e o Direito, não sei! Mas ser cantora é que não!
Por tudo isto entre os 14 e os 26 as alterações foram basicamente de mutações físicas, sempre para melhor claro!
Fiquei grande, sai de casa, arranjei emprego, acabei o curso… fiz os meus projectos, construí a minha casa… ou vai sendo construída! E a vida no campo das decisões adultas e maduras, vai sendo vivida dia a dia e conforme as circunstâncias!
Mas muito sinceramente, não sinto esse peso… só dou conta que sou supostamente adulta, porque já tenho contas para pagar, ou porque tenho aquelas chatices do dia a dia, que não ligo nenhuma e depressa esqueço! Ah! E quando há os almoços de família e perguntam então quando sai o casamento?!!! Tenho sempre vontade de perguntar aos mais velhos quando sai o funeral, ou então às que já sofreram a menopausa, quando é que vem mais um menino, para haver baptizado! Se o problema é festa, tratamos já disso, não tenho é que casar, para a malta ter uma festa!
Se eu casar… podem ter a certeza que é porque eu quero, com quem eu quero e onde eu quero! Não porque existem pressões de idade, sociedade ou familiares…
Quando vêem com aquela conversa, do a seguir ao curso terminado, e casa posta, vem o casamento… pois, pois, está bem! Mas… e o amor? a certeza que é aquilo, mesmo que não seja! Onde fica na planificação da vida alheia!
De certeza que não devem ter tido isso em conta !
Mais uma das coisas que me assusta nos adultos… a preserverança??????
De suportar coisas que não gostam ou que já deixaram de gostar, o medo da opinião alheia, o receio da critica da sociedade, parece que tudo tem uma planificação, parece que nada é feito por vontade, mas porque tem de ser!!!
Estranha vida esta de adultos… mais vale ser o Peter Pan!

Sandra Duarte Cardoso
publicado por Sandra Cardoso às 12:37

link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Luka a 30 de Junho de 2005 às 19:51
Vive a vida com toda a paixão que tens, goza e disfruta de cada momento, pois minha querida se a vida do dia a dia não é vivida com todo o esplendor torna-se dificil de ser vivida.
De Sandra a 28 de Junho de 2005 às 13:19
Não é preocupação... é apenas reflexão! não tenho tempo para preocupações a vida absorve tudo o tempoque tenho... o que está para viver é como tudizes virá!
De joo a 27 de Junho de 2005 às 18:00
Tanta preocupação de "como será"...Deixa-te disso!Oque interessa é o MOMENTO. Haverá um dia que dirás precisamente o contrário. Those were the days!!! :) Viver um só momento e viver deixando sempre cair em tentação...Já lá dizia o outro.

Bjos See ya!!!

Comentar post

.o que se pode saber de mim. O resto é um mistério...

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.as mais recentes alucinações...

. Em frente ao mar que nos ...

. Iris

. vamos fazer alguma coisa?

. Eu e a minha malta... nas...

. Maria dos olhos doces...

. ...

. 2 anos...

. ...

. Intercambio de animais!

. Alvaro Charneca!

.alucinações antigas...

. Setembro 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds